quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A agricultura japonesa

A agricultura no Japão é complicada, pois cerca de 75% do país é montanhoso. Há 80 vulcões ativos no país e os sismos são muito comuns, ocorrendo mil deles sensíveis por ano. Apesar da reduzida área cultivada, o Japão desenvolveu modernas técnicas agrícolas, nomeadamente pequenos motocultivadores, que permitiram a libertação de mão-de-obra, a par de uma elevada rendibilidade.

O arroz continua a ser uma produção agrícola importante como é mostrado na imagem 01, o país possui condições climáticas ideais para o cultivo. Mas a diversificação das produções tem sido uma preocupação constante, a fim de diminuir as importações decorrentes da alteração dos hábitos alimentares. A elevada percentagem da população urbana estimulou a intensificação da agricultura e da pecuária. A produção agrícola em estufas é um dos aspectos mais expressivos da mudança no setor agrário. Por outro lado, a pesca é bastante rentável, não só pela moderna frota disponível, mas também pela existência de uma avançada e bem estruturada indústria pesqueira que opera, sobretudo fora das águas territoriais japonesas, o que poderá, no futuro, acarretar problemas para o setor. Os principais parceiros comerciais do Japão são os Estados Unidos, a China, a Coréia do Sul e Taiwan.

Imagem 01: plantação de arroz.

Todos os anos os agricultores os agricultores japoneses estão no plantio do arroz em diferentes modelos e com diferentes tipos de arroz para a cor assim como mostram a imagem 02 e 03. Assim, eles formam desenhos incríveis nas plantações. Como pode ser visto nas imagens a seguir:


Imagem 02: Desenho na plantação.



Imagem 03: Plantação vista de perto.

O aquecimento global pode causar danos graves na produção do arroz, com uma redução de 5% até 2050, segundo um estudo divulgado pelo Ministério do Meio Ambiente. A frequência dos desastres naturais, como inundações pode aumentar e assim reduzir as superfícies cultiváveis.

O arroz é o principal produto agrícola, mas também há o plantio de batata, repolho, beterraba e frutas cítricas. E na pecuária há a criação de bovinos, suínos e aves.

Formas de economia no país na imagem 04:


Imagem 04: mostrando o que é produzido em cada região do Japão.



Regiões japonesas:


Imagem 05: regiões do Japão.

Das oito regiões do Japão, Hokkaido é mais importante zona de criação, onde também se pratica a silvicultura e pesca oceânica, sendo ainda o segundo maior centro produtor de carvão do arquipélago. Tokoku é uma região rural, algumas de suas zonas estão entre as mais pobres e primitivas do Japão. Em Kwanto, a parte oriental, é basicamente agrícola e a ocidental se situa entre as mais urbanizadas e industrializadas do país. Chubu é localizada na área central de Honshu. Possui algumas indústrias com base no petróleo, gás natural e hidreletricidade. Produz seda, frutas e outras especialidades agrícolas. A região de Kinki, em Honshu, é um dos mais populosos distritos do Japão. A base da economia é a agricultura. Em Chugoku, a economia é essencialmente agrícola e atrasada; a parte central, porém, possui agricultura moderna e indústria desenvolvida. Em Shikoku ou Sokok, o sul é isolado e dependente da agricultura. Takamatsu ao norte, é a cidade principal. Na região de Kyushu, a parte norte é das mais industrializadas do país; o sul, ao contrário, é uma das regiões mais pobres.


3 comentários: